Personalização das negociações no cenário da crise econômica

  • 09 setembro, 2021 - Artigos

Por Maria Vitória Barbosa de Castro

A pandemia iniciada em março de 2020 trouxe uma nova realidade e, como ela, adaptações nas mais diversas facetas do cotidiano. Não seria diferente no cenário das negociações. 

Em um cenário de crise econômica e de saúde, as soluções extrajudiciais e métodos alternativos de resolução de conflitos, apresentam-se altamente recomendáveis, contudo, a generalização das técnicas de negociação perde ainda mais espaço, abrindo caminho para composições personalizadas que permitam efetivo cumprimento das obrigações assumidas. 

Isto porque, como é de amplo conhecimento, a Covid-19 impactou de diferentes formas empresas e negócios, mas não de forma homogênea. As negociações, portanto, devem mais do que nunca abordar os casos e seus aspectos de forma personalizada, diminuindo os impactos financeiros das empresas e, ao mesmo tempo, viabilizando o cumprimento dos acordos pelos devedores. Para isso, necessário trabalhar com alguns dos principais pilares das negociações. Vejamos: 

A negociação tem início muito antes do primeiro contato com a parte contrária, é imprescindível ter domínio do conteúdo negociado, mapear as informações relevantes, os pontos fortes e fracos da negociação, bem como peculiaridades das empresas envolvidas.

Tão importante quanto a informação, é o relacionamento estabelecido no tramite da negociação, baseado na integridade dos relacionamentos e na escuta ativa entre as partes envolvidas. 

Manter-se a par dos limites e possibilidades adequadas às empresas negociantes aumenta a possibilidade de formalização de acordos, ao passo que diminui os riscos de inadimplemento dos termos pactuados futuramente. 

Mais do que nunca, a viabilização de acordo é alternativa viável à regularização de débitos e possibilita a construção da melhor forma de pagamento para que os inadimplentes quitem suas dívidas e diminuam os prejuízos das empresas credoras. 

Em linhas gerais, a negociação extrajudicial pode ser usada para dirimir diversos conflitos sendo muito utilizada, ainda mais em cenários de crise, para dirimir problemas entre uma empresa e seus clientes, seus consumidores, fornecedores ou parceiros, independentemente do fato de o caso estar ajuizado ou não.

Portanto, entende-se que a utilização de técnicas adequadas de negociações para resolução de conflitos a qualquer tempo, sempre atendendo aos interesses e possibilidade de ambas as partes, viabiliza e aumenta as chances de recuperação de ativos, mantendo o bom relacionamento entre as empresas e evitando o acúmulo de débito ou inadimplência futura dos termos pactuados. 



Voltar à página anterior

Cadastre-se em nossa Newsletter