Reflexos da pandemia no âmbito das fusões e aquisições

  • Philippe Boutaud-Sanz e Yasmin Peron Pereira - 24 novembro, 2020 - Artigos

Tendo em vista as antigas projeções de caráter otimista para o mercado de fusões e aquisições (M&A) para 2020 e o atual cenário global experimentado pela pandemia do COVID-19, é possível falar que essa pandemia afetou os projetos de fusões e aquisições em larga escala. 

De fato, frente a um cenário de grandes incertezas, restrições à circulação de pessoas e até mesmo instabilidade política e econômica, notadamente com relação a bolsas de valores, foi possível observar, em um primeiro momento, uma forte onda de “congelamento” e interrupção de operações de fusões e aquisições a nível mundial, seguida de um “descongelamento”. 

Essa onda de congelamento, conforme apontado por pesquisas recentes, afetou principalmente as transações em fase mais embrionárias relativamente àquelas que já estavam em níveis mais avançados, proporcionalmente falando. Contudo, independentemente do estágio, foi possível sentir uma forte cautela e ainda mais precaução na condução das operações que permaneceram em andamento.

Dentre os principais aspectos observados a partir da retração do mercado, destacam-se como medidas preventivas uma especial atenção nas fases de precificação de ativos e de maior cuidado e aprofundamento nas Due Diligences realizadas, que, se antes já eram primordiais a fim de mitigar riscos e conferir mais garantias aos envolvidos nas operações, em um cenário de grandes incertezas, passaram a ser medidas chaves com a finalidade de conferir maior segurança jurídica às fusões e aquisições. 

Comparado ao primeiro semestre, no segundo semestre de 2020 as operações de fusões e aquisições apresentaram um perceptível aumento, com índices até maiores se contrapostos ao mesmo período do ano anterior. O que se observou, então, foi que as atividades de fusões e aquisições se tornaram soluções para as empresas retomarem suas atividades ou mesmo para simplesmente aproveitarem preços de ativos descontados em função da pandemia e/ou da variação cambial em um ambiente ainda relativamente hostil. 

Vale ressaltar que, apesar de importantes setores da economia sofrerem em massa com a baixa liquidez de capital, inclusive enfrentando em alguns casos processos de falência e/ou de recuperação judicial, como companhias aéreas e empresas de setores gastronômicos, outros setores de suma importância como os segmentos tecnológicos, varejistas e healthcare se destacaram.. 

É certo dizer que foi extremamente necessário para sobrevivência de grandes e pequenas empresas, que todos se reinventassem nesse momento de grande instabilidade. Aqueles que conseguiram maior crescimento, partiram de soluções criativas e inovadoras, se adaptando rapidamente a uma nova realidade, seja a partir da adoção de uma nova dinâmica nos negócios, da transformação de seus produtos ou até mesmo com a formação de novas parcerias. 

Nesse passo, é possível esperar um maior aquecimento no mercado de fusões e aquisições pós pandemia, mesmo porque, em alguns casos, tais operações podem representar uma união de forças para que empresas tenham maior fôlego para desenvolverem as suas atividades.



Voltar à página anterior

Cadastre-se em nossa Newsletter